quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Las Vegas: Fazendo as Malas e Voltando para o Brasil

Oláááá!!!

E chegamos ao final da nossa viagem!!! Aproveitamos, ao máximo, tudo o que pudemos, inclusive na sexta, mesmo viajando sábado de manhã. Não que eu me arrependa, mas nos estressamos na hora de arrumar as malas, pois estávamos bem cansados, com espaço restrito e, MUITA coisa para guardar!!!

Nossa ideia era despachar carrinho e bebê conforto nas respectivas caixas, assim as malas ficavam livres para todo o resto. Sim, íamos arriscar passar na alfândega com as caixas e mostrar a nota dentro da cota.

A primeira surpresa, foi quando pedi para o marido verificar no site da cia aérea, as medidas certas de caixas que poderiam ser despachadas sem pagar taxas. Descobrimos que, justamente para Brasília e outras 2 cidades do nordeste (não lembro quais), ela não estava despachando caixas!!! 

Como era de manhã, estávamos relaxados, lá fomos nós tentar ver se ambos cabiam nas nossas malas, ou se teríamos que comprar maiores. Na pior das hipóteses, compraria aquelas malas de sacoleiras! Com jeitinho, vimos que caberiam, cada um numa mala grande, sendo que o bb conforto teria que ser desmembrado, o assento mais desajeitado, por ser curvo, numa mala grande e, a base do carro iria em outra mala qualquer.

Com esse problema resolvido, acabamos criamos outro, falta de espaço para o resto!!!

Primeira providência: tirar todos os produtos de caixas e embalagens que ocupavam espaço. Os produtos frágeis e eletrônicos iriam nas malas de mão, então não teria problema de estarem fora da proteção da caixa. Vocês não fazem ideia do quanto reduziu o nosso volume de produtos. 

No caso de produtos cujas instruções estavam nas caixas, e não em manuais, fotografei todas as embalagens. E, no caso de produtos similares, mas que diferiam apenas no tamanho, como os bicos das mamadeiras e chupetas, cortei bem pequenino o tamanho escrito nas embalagens e, deixei junto com os respectivos.

Segunda providência: cortar fora todas as etiquetas de preço e cabides das roupas. Outra fonte de volume considerável e, que você só se dá conta depois que tira tudo! Todas as roupas são vendidas com os cabides, mas tivemos o cuidado de retirar na loja e deixar lá para eles. Foram poucas, que passaram desapercebidas e vieram penduradas.

Eu tive o cuidado de manter os conjuntos unidos, pois como o volume de roupa é bem grande, eu sabia que não ia lembrar depois, quem era par de quem. Mas, não cortei nenhuma etiqueta, que vinha costurada na roupa, que tivesse o tamanho dela, pois muitas tem tamanho tão parecido, que para uma mãe de primeira viagem, dá para confundir fácil só de olhar, se aquela é de 3-6 meses ou 6-9 meses. Claro que, a gente acaba descobrindo, comparando, mas é um estresse desnecessário. Vale lembar que, são poucas as roupas que vem com essa etiqueta de tamanho, a maioria vem com o tamanho impresso direto na roupa.

Terceira providência: Compras sacos de embalagem à vácuo. Tínhamos muitaaaaa roupinha e todos os nossos casacos de inverno, ou seja, volumes grandes! No walmart tem sacos de todos os tamanhos e combos diversos. 

Inicialmente compramos um combo com vários tamanhos e, vimos que os sacos eram tão grandes, que não cabiam nas malas. Voltamos no mercado e trocamos por um combo de sacos específicos para viagem. Foi ótimo, pois além de caberem melhor nas malas, não íamos precisar do aspirador de pó do hotel (que se prontificou a emprestar numa boa!), já que é só comprimir ele. Marido ajoelhava em cima deles e dava super certo.

Independente de declarar, ou não, na alfândega, existe uma regra de não poder levar mais que 10 produtos repetidos, pois isso é caraterizado comércio (muamba) e pode ser retido. Só de bodys, devia ter uns 40 e, mesmo que eu argumentasse serem de tamanhos diferentes, isso vai muito o fiscal!!! Então, optamos por arriscar e não declarar! Mas isso vai de cada um, tá?! Não estou aconselhando nada, que fique bem claro!

Misturamos todas as roupas dela com as nossas. Colocava dentro dos casacos de frio um monte, aí colocava dentro do saco à vacuo. Fiz isso com todas as roupas pesadas que levamos. Todas as mantas dela foram envolta do carrinho e do bb conforto, para protegê-los. Laços, meias e miudezas foram dentro de mamadeiras e copos. Espalhamos tudo entre as malas e rezamos! rsrs Nas malas de mão, vieram os eletrônicos (babá eletrônica, bomba de leite, caixa de música...) e os frágeis.

Todos os cremes e poiasse, que não tinham proteção, colocamos um pedaço de saco plástico entre a tampa e o tubo, assim não vazam com a diferença de pressão no avião, nem se amassarem.
No final, as malas estava tão abarrotadas e com todas as extensões abertas que, confesso, viajei extremamente nervosa e com medo de ser barrada, não pela multa, mas por poderem reter metade do enxoval se quisessem...
No aeroporto o check-in foi tranquilo e, no despacho das malas, todas receberam a etiqueta heavy (pesado, em inglês), o que aumentou mais ainda minha preocupação.

Os voos foram tranquilos e a nossa conexão, em Miami, muito rápida, o que estranhamos. Chegamos com uma antecedência de 1h para o embarque e, como o aeroporto é muito grande, tivemos que pegar o monorail para outro terminal.

Nos assustou, chegarmos no portão de embarque e, ver que todos já tinham embarcado, as aeromoças começaram a nos apressar, nem olharam nossos passaportes! O avião decolou com 30 minutos de antecedência! Já imaginou, se parássemos para comer alguma coisa ou ver uma lojinha?!

Chegamos em Brasília quase 1h mais cedo do que o previsto, junto com outros 3 voos. O desembarque internacional de Bsb, ainda não foi reformado, então pensa em mais de 500 pessoas num ambiente apertado, todos encurralados num cubículo. Agora junta uma grávida super nervosa, que não tinha comido por estar enjoada? Pois é, passei tão mal na fila da polícia federal, que fui passada na frente de todos e, queriam me levar para o posto médico! kkk

Depois que sai da muvuca, consegui respirar melhorar e sentei esperando o marido ir atrás das nossas malas. Fiquei observando o volume de bagagem das pessoas e fui ficando um pouco mais tranquila, tinha muita gente com volumes bem maiores que os nossos. Depois, percebi que só tinha um fiscal na alfândega, provavelmente por ser muito cedo ainda (7h e pouco da manhã), então não estava parando ninguém, porque a fila estava diminuindo bem rápido.

Passou um tempinho, percebemos que nossas malas não chegavam e, quando a esteira parou, tivemos certeza de que não vieram! Rezamos tanto, que as malas ficaram em Miami! kkkkk Marido fez a reclamação no balcão e, confirmaram que as malas ficaram lá. Prometeram que, elas chegariam nesse mesmo voo no dia seguinte e, nos entregariam em casa! Olha só! Sem estresse de alfândega!!!

Nunca tinha tido uma mala extraviada, primeira vez e, confesso que pareceu providencial! kkkk Só fiquei apreensiva de chegarem todas direitinho, não perderem nenhuma, porque estava tudo espalhado entre elas e, mesmo que nos pagassem uma indenização, não poderia ir comprar de novo o que fosse perdido.

Dia seguinte, pela manhã, a cia aérea entrou em contato pedindo endereço para entregar as malas após o almoço. Preferimos ir buscar direto no aeroporto, vai que chega com alguma coisa quebrada? Poderiam colocar a culpa na transportadora terceirizada e dar a maior confusão...

De posse das nossas malas, fomos abrir todas e arrumar com calma para trazer para Jundiaí. Como voo doméstico tem limite menor de peso, teria que ser feito em duas viagens, a primeira antes do natal e, a segunda após o natal. Deu tudo certo, conseguimos trazer todo o grosso, ficando apenas algumas coisas, para eu trazer, agora, quando for para o chá.

Olha como as malas vieram! Essa foi a leva do bb conforto... Não tirei foto do carrinho, mas veio do mesmo jeito, nessa mesma mala...
E assim, finalizamos nossa viagem! Com alguns estresses, mas com muita diversão e gratidão, por termos conseguido fazer uma viagem tão gostosa e, ainda, ter comprado o enxoval, mesmo precisando encurtar a viagem para isso. Valeu muito a pena e, ficamos com  um gostinho, ou melhor, "gostão" de quero mais!!!

Espero que, tenha sido útil, para quem está planejando ir para lá, ou para quem está querendo fazer o enxoval em um lugar diferente do circuito Miami-Orlando.

Beijossss

6 comentários:

  1. Oi Babi, estou adorando acompanhar sua jornada de gravidinha, me faz relembrar quando eu estava grávida, há 6 anos atras, tão gostoso né... Lembro de tudo com muito carinho, a compra do enxoval, a arrumação do quartinho, e depois foi só esperar pelo dia do nascimento da minha princesinha.
    Se puder, vai postando fotos das roupinhas, itens que compraram pra Lulu. Beijos pra vcs 3. @JuSiNov

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Ju! Que bom que está gostando!!! Fico muito feliz!
      Está sendo muito gostosa essa preparação, embora um pouco trabalhosa e corrida!
      Pode deixar que vou postar sim, não tudo, porque é muita coisa, mas vou tentar mostrar bastante!
      beijão

      Excluir
  2. Nossa que tenso! Ainda bem que deu tudo certo!

    ResponderExcluir
  3. Babi, por favor coloca a lista de quantidade de roupinhas e textis. Sou grávida de segunda viagem, mas mesmo provavelmente esperando outro menino tenho que refazer o enxoval (me emprestaram muitas roupinhas e paninhos e esse nasce no verao enquanto o primeiro nasceu no inverno). O resto pelo menos eu já sei o que se usa e o que é bobagem.
    Nem imagino colocando tudo do baby em malas, é muita coisa! Moro fora e meu enxoval do primeirinho foi feito ao longo de meses, sendo que muita coisa eu comprei só depois que ele nasceu quando a necessidade apareceu. Imagino o nervoso de pagar tudo em dois dias :O, pelo menos tu sabe exatamente quanto gastou, eu nao tenho muita idéia (tinha uma lista com as coisas caras, mas em roupinha ou o que eu comprei depois nem idéia).
    Os elefantes sao lindos demais (e olha que eu costumo achar esses conjuntinhos de decoracao bem breguinhas). Agora fiquei curiosa para ver o quarto pronto.
    Bjs,
    Elisa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elisa!!!
      É com dor no coração, que te digo não ter a lista! Como contratei a personal, ela fez a lista e acabei não ficando com ela, pois compramos praticamente tudo e lá. Só anotei o que faltou...
      Para te ajudar, você pode me mandar um email com a lista que você tem e eu digo se é pouco ou muito, vendo o que comprei aqui. Só não consigo parar para escrever tudo o que compramos porque é muita coisa... Mas com a sua lista fica fácil de eu te ajudar, pode ser?!
      Eu comprei tudo até 1 ano, você vai fazer isso também? Ou só quer até uma determinada idade?
      Fico no aguardo do seu email para tentar te ajudar!
      Beijão

      Excluir

Obrigada por deixar um recadinho e fazer essa blogueira feliz!