quarta-feira, 9 de março de 2016

Meu Plano de Parto...

Olááá!

Como falei no post anterior, escrevi meu plano de parto, para discutir com minha obstetra, na consulta que tive ontem (#33 semanas).

O Plano de Parto, nada mais é que, um documento que você escreve com as suas vontades, o que gostaria e o que não gostaria que acontecesse ou fosse feito, durante o trabalho de parto, parto normal ou cesárea e, os cuidados pós. Deve ser discutido com o acompanhante de sua escolha, seja qual for, e seu obstetra. No dia da internação, deve ser entregue ao hospital e à equipe que irá conduzir o parto.

Embora seja um documento com suas vontades, ele pode ser "violado", se for necessário, em casos de intercorrências ou urgências mais sérias.

Usei esse post, para entender melhor os procedimentos que, geralmente, acontecem nos hospitais e, este aqui, elaborado pela defensoria pública de SP, para escrever o meu. Mas, é só jogar no Google "modelos de plano de parto" que, acha-se um monte.

Converse com seu médico ou a maternidade escolhida, para entender como é a cultura e a condução dos procedimentos de lá, justamente para não se frustar ou, até mesmo escolher outra, caso algum ponto seja muito importante para você!

Minha obstetra quer seguir para o Parto Normal, já que tudo está bem favorável para ele. A gravidez está transcorrendo super bem, Analu está cefálica (cabeça para baixo) e com o corpo à esquerda, melhor posição para nascer. Ela tem me incentivado muito e transmitido muita segurança, mas deixou claro que a escolha é minha.

Eu não sou defensora de nenhum dos partos. Acredito que, essa escolha cabe única e exclusivamente à mulher, dependendo das suas condições psicológicas, físicas, emocionais e, mais importante, clínicas. E, não acho certo nenhuma pessoa interferir, ficar palpitando ou, pior, contando casos e casos, a favor de um tipo ou contra o outro. Acho totalmente deselegante, mal educado e falta de respeito com o próximo, esse bullying materno que vemos por aí.

No MEU CASO, já que nossas condições clínicas estão indo bem, estou disposta a esperar Analu decidir o dia que ela quer vir, ou seja, entrarei em TP. Porém, isso não quer dizer que vou ter parto normal, isso vai depender da evolução dele. Se evoluir bem, ótimo. Se precisar ir para a cesárea, ou se eu quiser ir para cesárea, ótimo também! O importante é que eu e Analu estejamos bem.

Vou deixar meu plano de parto aqui embaixo, mas lembrem-se, que é só um plano. Pode ser que, as coisas não saiam conforme o planejado. O importante é ser tentado!


À Equipe Médica,

Vocês foram escolhidos, a dedo, para fazerem parte do momento mais importante de nossas vidas! Confiamos na nossa escolha e esperamos sermos retribuídos, com o respeito às nossas vontades, sempre que possível. Estamos cientes de que o parto pode tomar diferentes rumos. Abaixo listamos nossas preferências, em relação ao nascimento da nossa Ana Luisa, caso tudo transcorra tranquilamente. Sempre que os planos não puderem ser seguidos, desejamos, previamente, sermos comunicados e consultados a respeito das alternativas.

Plano de Parto
Parturiente: Barbara             DPP: 21/04/2016
Acompanhante: Pedro
Bebê: Ana Luisa
Durante o Trabalho de parto:
·         Presença de um acompanhante de minha preferência, conforme a Lei 11.108/2005.
·         Sem perfusão contínua de soro e ocitocina sintética.
·         Quero usar minhas próprias roupas.
·         Liberdade para beber água e sucos enquanto seja tolerado.
·         Liberdade para caminhar e mudar de posição.
·         Liberdade para uso ilimitado do chuveiro e/ou banheira, além de outras alternativas naturais de alívio da dor (massagem, respirações, posturas).
·         Monitoramento fetal: apenas se for essencial, e não contínuo.
·         Não desejo uso de medicação para sedação.
·    Aceitarei analgesia, desde que me permita continuar tendo controle do trabalho de parto e, somente quando eu pedir.
·   Tentar posições ou movimentos antes de iniciar o uso de ocitocina, caso seja realmente necessária.
·         Rompimento da bolsa, somente se necessário.
·         Não gostaria, que pessoas desconhecidas ficassem entrando sem permissão.
·         Não quero fazer a lavagem intestinal (a maternidade que escolhi não faz!)
·         Não quero que seja feita tricotomia (Já irei pronta, caso precise passar pela cesárea).
Parto Normal:
·         Liberdade para escolher a posição que me sentir melhor.
·    Prefiro usar cadeira de parto, maca ou outra posição, que ache mais confortável para o momento expulsivo.
·         Não quero a mesa ginecológica, nem amarração de braços e pernas durante o parto.
·      Prefiro fazer força quando sentir vontade, por isso, desejo um ambiente calmo nesse momento.
·      Desejo que meu períneo seja amparado na fase explusiva, usando o recurso da episiotomia, apenas em último caso e com minha aprovação, após justificativa da necessidade. (minha médica já me tranquilizou, que não faz sem necessidade e, quando faz, é a menor incisão possível!).
·         Não aceito a Manobra de Kristeller!!! (Se for preciso empurrar minha barriga, vamos para a cesárea!)
·         Desejo ter o bebê imediatamente colocado no colo para o contato pele a pele e, se possível, já iniciar a amamentação.
·         Se possível, aguardar expulsão espontânea da placenta com auxílio da amamentação.
·      Se houver necessidade de succionar as vias respiratórias, prefiro que seja feito enquanto ela está comigo.
·         Se possível, cortar o cordão umbilical depois que parar de pulsar.
Parto Cesárea:
·      Presença de um acompanhante de minha preferência, conforme a Lei 11.108/2005, desde antes da anestesia.
·       Anestesia: peridural, sem sedação.
·    Se possível, desejo ver a hora do nascimento, com o rebaixamento do protetor ou por um espelho.
·       Após o nascimento, colocar o bebê sobre o peito e que as mãos estejam livres para segurá-lo.
·    Se houver necessidade de succionar as vias respiratórias, prefiro que seja feito enquanto ela está comigo.
·       Gostaria de amamentar o quanto antes, desde a sala de cirurgia, se for possível.
Cuidados com o bebê:
·         Amamentação na primeira hora de vida, sob livre demanda.
·         Não oferecer água glicosada ou leite artificial.
·         O bebê deve ficar comigo o tempo todo, mesmo para avaliação e exames.
·         Alojamento conjunto o tempo todo.
·   Não aplicar o colírio de nitrato de prata quando os exames de Streptococo, Clamídia e Gonorreia forem negativos.
·     Se for necessário retirar o bebê do quarto, ele deverá ser acompanhado por um dos pais ou acompanhante.
Esse é meu Plano de Parto, que protocolo neste momento, para que minha vontade e autonomia sejam atendidas. Solicito que, procedimentos em desacordo com o aqui expressamente descrito, sejam devidamente justificados no meu prontuário médico. Agradeço a compreensão de toda equipe envolvida e, por participarem desse momento único em nossas vidas.
Beijosssss

6 comentários:

  1. Babi, posso copiar? rsrs
    É exatamente o que eu quero!
    Eu não sei como funciona as coisas nas maternidades aqui, nem sei se tem banheira, eu não quero parto normal se me colocarem naquela maquinha com as pernas presas pra cima! De jeito nenhum! Vi dois vídeos de partos assim no hospital e fiquei horrorizada! E mais ainda quando vi que apertaram a barriga da mãe para o bebe nascer, que absurdoooo.... fiquei revoltada... prefiro ir pra cesárea também...
    Meu marido, minha mãe (teve dois partos normais), minha sogra, ninguém me apóia ter parto normal, o que acaba me desanimando um pouco, mas se eu ver que alguma maternidade daqui tem a conduta de respeitar a gestante, vou partir para o parto normal, meu médico é super a favor, tanto é que esses dias ele me disse que fez parto normal de gêmeas e a mãe estava morrendo de medo, queria cesárea, mas ele a incentivou porque tudo estava favorável e deu tudo certo!
    Bom ainda não decidi e também acho que só a gestante sabe se sente melhor com um ou outro tipo de parto, tem várias coisas que influenciam, acho que deve fazer o que a deixa mais segura.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Babi! Descobri que eu sei bem menos do que imaginava sobre parto... quantos detalhes!
    Eu nunca pesquisei nada sobre isso, mas penso parecido com vc. Tentarei normal, mas sem dramas. Se houver necessidade de ser cesárea, sem problemas! Tbm tenho medo da dor, mas em condições clínicas favoráveis vou tentar.
    :*

    ResponderExcluir
  3. Nossa que demais! Apesar de nao ter entendido algumas coisas, achei super interessante esse plano de parto, e se Deus quiser, tudo sairá do jeitinho que você e a analu desejam! No seu tempo, na sua hora!
    Concordo com você a escolha do parto tem que ser exclusivamente da mamae, e palpites não devem ser feito. Afinal é um momento único, e cada uma escolhe o que é melhor para si e o baby né?
    Um super beijo, Que Deus te abençoe, Tety
    donasteh.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Vou usar o seu plano de parto de base pra fazer o meu assim que escolher a maternidade e ver como são os procedimento nela. Tb acho que o mais importante é entrar em trabalho de parto independente de qual forma ele será, sinal de que nossos bebes estão prontos pra sair do forninho rsrsrs.
    Ajudou muito!!!

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar um recadinho e fazer essa blogueira feliz!